segunda-feira, 27 de março de 2017

Santo André, derrota causa preocupação, mas segue a confiança

O Santo André não conseguiu o resultado positivo nesse sábado, jogando no Bruno José Daniel diante do Santos. Mas mesmo com a derrota pelo placar mínimo, o time de Sérgio Soares chega na última partida dependendo apenas de si para permanecer na principal divisão do Paulistão 2017.
 
O jogo porém deixou três desfalques... primeiro a contusão de Reniê, que quando correu para a área para cortar um cruzamento, sentiu a coxa esquerda e teve que ser substituído por Diogo Borges. Marcado por uma atuação desastrosa contra a Ponte, o zagueiro foi seguro e deu conta do recado contra o Santos e deve ser confirmado para o próximo confronto.

Outro desfalque certo é Aelson. No lance do gol ele correu para cortar o cruzamento, pisou torto e torceu o joelho. Sergio Soares optou pela entrada de Paulinho,  mas ainda não se definiu para a partida contra o Audax. Chance também para Fernando Neto, que já  atuou pela lateral nesse Paulistão.

Por fim, a expulsão de Tiago Ulisses, que ao lado de Renato, resolveram o problema do meio campo do Ramalhão, tanto no desarme quanto na tarefa de levar a bola ao ataque. Em seu lugar deve voltar Dudu Vieira.

Apesar da preocupação com os desfalques, o time está bem confiante em uma vitória, pois depende apenas dessa vitória para seguir na A1 em 2018. Ao Audax, além da vitória também precisa de uma combinação de resultados


sábado, 18 de março de 2017

Santo André vence... de virada... com requintes de crueldade!!!

Hoje o Santo André foi mais Santo André do que nunca. A frase pode parecer redundante mas não é. O time Andreense foi a campo hoje em Mirassol com uma missão: derrotar o Mirassol dentro da sua própria casa e se manter vivo na luta inglória contra o rebaixamento.

E foi uma batalha digna. Cerca de 20 torcedores não viram dificuldades nem esforços e fizeram mais do que o possível para acompanhar o seu time de coração. E lá foram eles, saindo hoje as seis da manhã do Bruno José Daniel para a batalha inglória de Mirassol.

O time vinha com mais improvisações. Sem Cicinho, sem confiar em Jean e com a expulsão de Dudu, Sergio Soares colocou o meia/volante Alex no setor. Pela esquerda, a estreia do lateral Aelson, vindo do Imperatriz do Maranhão.

O jogo começa e logo o Ramalhão mostra a que veio, Henan acerta um lindo chute e faz 1 a 0...  Quando tudo parecia conspirar a favor do time, veio o empate. O time sentiu demais o gol, passou a ser dominado. Então, veio a virada do Mirassol.

video


Um misto de angústia e desespero. Nas redes sociais, os mais apressados já decretavam o time na A2, uma nuvem de negativismo parecia pairar sobre Santo André. Mas o jogo era em Mirassol, e a esperança Andreense é realmente a última que morre.

Mal começava o segundo tempo e o Ramalhão já decretava o empate. Bola de Claudinho na cabeça de Henan, que marcou o segundo gol. Menos de dez minutos do segundo tempo e o inesperado... Hat-trick com direito a pedir música de Henan...

Mas as coisas não funcionam assim com o Ramalhão... Aos 20 minutos do segundo tempo, Leonardo faz falta dura em Zé Roberto, recebe o segundo amarelo e é expulso. Lá vem vinte e cinco minutos de desespero total.

Sergio Soares colocou Diogo Borges em campo, recompondo a zaga. O Mirassol segua perigoso nas jogadas pela lateral. O técnico Andreense então colocou Jean no lugar de Alex. Logo depois, Reniê não conseguiu continuar em campo com câimbras, Então deu lugar a Samuel Teram. Enfim, em campo a zaga que deu o acesso ao Ramalhão.

O Mirassol foi pra cima e Zé Carlos seguia fazendo milagres. Esse desespero seguiu até que aos 48 minutos do segundo tempo, o árbitro encerrou o jogo... Alívio... um sentimento incontido de alegria! Sergio Soares soube reconhecer o esforço do torcedor e foi comemorar a vitória importante ao lado do seu torcedor. Isso é uma amostra do que é ser Andreense.

Ser Andreense é acreditar sempre... é saber que o jogo só termina após o derradeiro apito do árbitro. Ser Andreense é saber que quando tudo está bem, tudo pode dar errado, e logo depois tudo pode dar certo... no mesmo jogo. Ser Andreense é viver nessa montanha russa de emoções... é xingar e querer entrar em campo para bater em um jogador e no mesmo lance chorar de emoção pelo gol que esse jogador fez. Essa emoção que um Andreense tem quando vê o manto branco e azul dentro de campo... alguns acham que é um jogo... para o Andreense é uma batalha. Nós contra todos, todos contra nós... 

Orgulho de ser Andreense!

Marcelo Alves Bellotti

quarta-feira, 15 de março de 2017

Santo André próximo de trazer um lateral

O Santo André está próximo de anunciar o lateral esquerdo Aelson para a sequência do Campeonato Paulista de 2017. Apesar de não haver mais espaço para inscrição de jogadores, o time Andreense tem dois jogadores contundidos e que tem condições de ser substituídos.

Helton e Siloé devem ser substituídos por contusão.Especula-se que o Ramalhão irá trazer também um atacante para a sequência do Paulistão. Apesar de ainda não ter sido apresentado ou confirmado, o site Imirante de Imperatriz afirmou que o lateral já rescindiu o contrato com o time maranhense e acertou com o Santo André.

O lateral de 31 anos é considerado o destaque da equipe maranhense, que se classificou para a fase final de seu campeonato regional.

Ficha Técnica:
AELSON RODRIGUES NASCIMENTO
Posição: Lateral Esquerdo
Data de Nascimento: 02/08/1985
Cidade: Imperatriz - MA
País: Brasil
Inscrição CBF: 172712

Times: Imperatriz (2017), Marcilio Dias (2016), Brusque (2016), Cuiabá (2015) Atlético Ibirama (2015), Icasa e XV de Piracicaba (2014), Avai (2011/2013), Chapecoense (2009/2011), Vila Nova (2009),  Caxias (2008 e 2009) e Imperatriz (2005 a 2008)

Marcelo Alves Bellotti

segunda-feira, 13 de março de 2017

Ramalhão homenageia Arnaldinho

O Esporte Clube Santo André segue em sua inciativa de homenagear seus ídolos. Então começamos com Cite e Anizio, depois seguimos as homenagens com Fernandinho e ontem pouco antes do início do jogo, o homenageado foi Arnaldinho.

Arnaldo Ferreira de Souza atuou no meio campo andreense de 1975 a 1986 com mais de 400 jogos como titular é de longe o atleta que mais vestiu o manto Andreense nos gramados desse país.Com 42 gols, também é destacado como o terceiro maior artilheiro da história do time. Surgiu como titular do time no final da década de 70 e ao lado de Fernando, Da Silva e Cunha formou os "baixinhos frenéticos"
Foto: Revista Placar de 1979
Arnaldo conseguiu a façanha, em 1981 levou o Ramalhão a Elite do futebol profissional em São Paulo. Jogando no Parque Antártica, o Santo André triunfou sobre o XV de Piraciaba e se sagrou campeão Paulista da segundona.

Em 1984, outro time que Arnaldinho jogou e que fez história... Meio  campo de Elcio, Rotta e Arnaldo levaram o Santo André a décima colocação geral no torneio e uma partida épica contra o Grêmio em Porto Alegre, um empate de 4 a 4 (No Brunão, uma vitória por 1 a 0). Outro confronto inesquecível foi contra o Fluminense, campeão brasileiro daquele ano, no Maracanã, derrota por 1 a 0.


Parabéns ao Ramallhão que mantém vivas as lembranças de seu passado e a Arnaldo, que dedicou sua carreira ao Esporte Clube Santo André.


Marcelo Alves Bellotti

domingo, 12 de março de 2017

Santo André luta contra...

A cada jogo, a cada rodada o time Andreense vai tentando de todas as maneiras se manter na série A1 em 2018. O time tem várias limitações e a troca de técnico vinha com a esperança de dias melhores. Sergio Soares chegou e realmente mudou a equipe taticamente.

Mas em dois jogos, o time marcou apenas um ponto ganho. Mais do que somente atuações ruins, as partidas foram marcadas por erros incríveis de arbitragens. No primeiro jogo contra o São Paulo, os erros culminaram em uma suspensão de 60 dias dos árbitros e auxiliares.

No último sábado, jogando dentro do Bruno José Daniel, o time novamente sofreu com decisões de arbitragem. Além da marcação de um pênalti inexistente, o juiz ainda expulsou o meia/lateral Dudu


Ainda resta mais dois jogos em casa, contra a Ponte Preta e depois contra o Santos, a esperança e da primeira vitória do ano em seu estádio. Vamos ver a atuação da arbitragem nesses jogos.

Marcelo Alves Bellotti

Show de horrores no Morumbi

Esse é o tipo de coisa que o "portador de deficiência ou mobilidade reduzida" tem que passar. O amigo Rafael Costa Soares é uma presença constante em jogos do Ramalhão. A mobilidade reduzida nunca foi obstáculo para acompanhar os jogos do Ramalhão, seja no Bruno José Daniel ou em qualquer estádio.

Porém uma situação desagradável ocorreu justamente aonde não se imaginava, no Estádio Cicero Pompeu de Toledo, no Morumbi. Mesmo portando um ingresso, Rafael estava sendo barrado na porta do Estádio. A alegação do funcionário do clube é a de que Rafael deveria se dirigir a uma área própria para cadeirantes. O problema é que essa área reservada ficava no meio da torcida do São Paulo e Rafael estava identificado com a camisa do Santo André e, naturalmente seria hostilizado.

Rafael estava ali para simplesmente assistir o jogo... par isso fez o que dele se esperava... comprou um ingresso e se dirigiu a área reservada a torcida visitante. Não houve em nenhum momento a solicitação de qualquer privilégio. Apenas a garantia de um direito que parecia certo a partir da aquisição do ingresso... a de assistir o jogo ao lado dos seus torcedores. Mauricio Noznica filmou o ocorrido...

Após muito bate-boca, a situação foi facilmente resolvida pela Polícia Militar. Rafael foi conduzido a uma área do Estádio destacada na torcida visitante, um torcedor se responsabilizou e assistiu o jogo ao lado de Rafael, (o amigo Luiz Carlos Marques) e tudo foi solucionado com bom senso, como mostra a foto.

Isso mostra a falta de respeito com que se trata uma pessoa com mobilidade reduzida. Uma situação simples, que com o mínimo de respeito poderia ser resolvida

Entendendo as Leis... O Decreto 5296 de 2004 sobre acessibilidade, o que deve ter sido a razão da discussão diz..."Art. 23.  Os teatros, cinemas, auditórios, estádios, ginásios de esporte, casas de espetáculos, salas de conferências e similares reservarão, pelo menos, dois por cento da lotação do estabelecimento para pessoas em cadeira de rodas, distribuídos pelo recinto em locais diversos, de boa visibilidade, próximos aos corredores, devidamente sinalizados, evitando-se áreas segregadas de público e a obstrução das saídas, em conformidade com as normas técnicas de acessibilidade da ABNT."

O Estatuto do Torcedor diz em seu artigo 13 parágrafo único...  "Será assegurado acessibilidade ao torcedor portador de deficiência ou com mobilidade reduzida". Não há a necessidade de ser uma área destacada, simplesmente de assegurar a um cidadão o direito a assistir um evento sem ser coagido ou incomodado mediante ao pagamento do ingresso, que naturalmente já lhe daria esse direito.

Espero que a Federação Paulista de Futebol tome providências e oriente seus funcionários para sempre proceder com respeito a todos os que frequentam os estádios, e que a direção do São Paulo Futebol Clube saiba orientar seus funcionários para lidar com essa situação. Propor a uma pessoa a assistir um jogo São Paulo x Santo André com a camisa do Santo André no meio de torcedores do São Paulo é no mínimo uma falta de respeito.

Marcelo Alves Bellotti

sábado, 11 de março de 2017

Santo André x Botafogo... muita história

Ontem o Ramalhonauta Alexandre Bachega, sempre atento as coisas do Ramallhão lembrou algumas histórias do jogo de hoje contra o Botafogo de Ribeirão Preto no Bruno José Daniel. A história do confronto começou em 1975.

Era o começo de um time chamado Esporte Clube Santo André, que assumia o lugar do Santo André Futebol Clube. A mudança de nome ocorreu em 22 de março de 1975, e em 28 de março, o Esporte Clube Santo André entrava em campo pela primeira vez contra o Botafogo no Estádio Bruno José Daniel.

O Botafogo apresentava o meia Cunha, que depois jogaria no Santo André, além de Geraldão e Sócrates, que brilharam no futebol nacional. Assim, conforme relata o livro 1875 - A Saga, no sábado de Aleluia o Santo André envergando uma camisa azul e sem escudo, vencia o Botafogo, mostrando grande futebol. Os gols Andreenses foram marcados por Celso Motta e  Fernandinho, de falta. Maurinho descontou para o Botafogo.
Pequenas histórias de um grande time!

Santo André 2x1 Botafogo-SP
Data: 28/03/1975
Local: Estádio Bruno José Daniel
Árbitro: José Ubaldo Biagione
Público: 1.600 pagantes.
Gols: Celso Motta (10’ do 2ºT) e Fernandinho (35’ do 2ºT) (falta) (STO); Maurinho (28’ do 2ºT) (BOT).

Santo André: Ronaldo, Roberto, Rodolfo, Flávio e Luis Augusto; Fernandinho e Muró (Natan); Celso Motta, Vicente (Marrom), Tulica e Romolo.
Técnico: Aurélio Bastos.

Botafogo: Jorge (Adalberto); Polaco; John Paul, Manoel e Mário (Paulo); Júlio Amaral e Cunha (Maurinho); João Carlos (Lalli), Sócrates (Assis), Geraldão e Ferreirinha.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Santo André se apronta para a decisão...

O Esporte Clube Santo André se prepara para uma decisão amanhã no estádio Bruno José Daniel contra o Botafogo de Ribeirão Preto. Com uma campanha ruim, o Ramalhão que hoje se encontra apenas na décima quarta posição, a um ponto da zona de rebaixamento que por enquanto conta com Red Bull e Ferroviária.

O técnico Sergio Soares perdeu peças importantes para a montagem do time. Quando chegou já sabia que não poderia contar com Siloé e com Helton Luiz, o primeiro com problemas médicos e o segundo contundido.

No último jogo perdeu o lateral Cicinho, novamente com uma contusão na virilha e o meia Eduardo Ramos, que pediu a rescisão do seu contrato. Sergio tenta agora remontar o time para a partida decisiva.

Nos treinamentos realizados nesta semana, Sergio resolveu apostar na base. Com o aproveitamento ruim de seus atacantes o técnico do Ramalhão testou o menino David no ataque, que correspondeu a altura e pode ser confirmado no comando do ataque do Ramalhão.

Outro que recebeu uma chance e pode ser aproveitado o meia Alex. Com atuação destacada no Paulistão sub 20 em 2016, o atleta também foi testado e pode ser uma das opções para enfrentar o Botinha.

Sergio aposta na formação de um losango (1-4-2-3-1) como a melhor maneira para enfrentar seu adversário. Com dois volantes, três "meias" e um atacante, o grande problema do Ramalhão que foi a falta de ligação entre o meio e o ataque pode ser resolvido.

O jogo será na tarde desse sábado, a partir das 15 horas no estádio Bruno José Daniel, com transmissão via Sportv.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Santo André no Brunão... Saldo ainda é positivo

O saldo é positivo, ao menos na análise seca feita pelo Borderô da partida. O ingresso a 40 reais pode parecer uma garantia de lucro, porém o que podemos observar é que 60¢ dos ingressos vendidos no Brunão foram de meia entrada, a um preço de R$20 e apenas 8% do público pagou um ingresso de R$40. O restante fica distribuído entre visitantes e ingressos gratuitos, que chega a 28% em quatro jogos, devido a Lei Municipal 9266/10.

O jogo contra o Linense não mostrou um saldo positivo no Borderô, com apenas 1.629 pagantes o prejuízo chegou a mais de quatro mil reais. O público total das três partidas realizadas no Paulistão e mais um jogo pela Copa do Brasil foi de apenas 9.329 pessoas.

 Para os próximos jogos,não há expectativa de uma melhora na arrecadação, apesar de no sábado o confronto ser as 15 horas no Bruno José Daniel contra o Botafogo de Ribeirão Preto, pois no dia 21 (terça-feira) a previsão é de prejuízo com um jogo realizado as 15 horas contra a Ponte Preta, uma vez que o sistema de iluminação ainda não ficou pronto.O time fecha o sua participação no retorno para a série A1 contra o Santos, dia 25 de março as 15 horas, devendo melhorar a sua arrecadação.

Ja vai?? nem sei porque veio!!!

Há um provérbio português que fiz que "os ratos são sempre os primeiros a abandonarem o navio"... esse provérbio versa sobre pessoas individualistas, que só pensam nelas mesmas, que em geral são as primeiras a deixar uma equipe quando as coisas começam a ficar ruins.

Foi o que aconteceu na tarde desta terça-feira no Esporte Clube Santo André. Contratado para ser a principal estrela Andreense, o jogador Eduardo Ramos Martins solicitou a rescisão do seu contrato, após oito jogos disputados com a camisa Andreense, sendo sete como titular jogando apenas três jogos os 90 minutos.

Nesse período, o meia foi duramente criticado por atuações apagadas e por ter feito muito pouco ou quase nada com o manto Ramalhino. Foi devolvido ao Remo, de onde nunca deveria ter saído. Seguimos agora com muitos problemas. Além de Cicinho e Helton, contundidos, a saída de Eduardo Ramos não possibilita a contratação de outro atleta em substituição, uma vez que não foi motivada por razões médicas.

Trabalho para Sérgio Soares. E o aprendizado para a direção do clube

Marcelo Alves Bellotti. 

segunda-feira, 6 de março de 2017

Santo André é derrotado em jogo polêmico

O Santo André jogou na tarde desse domingo, dia 05 de março, uma partida decisiva para as suas pretensões de continuidade na série A1 contra o São Paulo no Morumbi. A partida marcou a estreia de Sergio Soares no comando técnico do Ramalhão.

O técnico começou o jogo abdicando do sistema anterior de três volantes. Então o time foi escalado com dois volantes (Baraka e Dudu), dois meias (Eduardo Ramos e Serginho e um atacante (Henan) em um clássico losango, que é utilizado por vários técnicos.

O jogo porém começou a ser definido não pela diferença técnica das duas equipes ou por um melhor jogo da equipe da casa mas pelos erros de arbitragem. Aos 4 minutos da primeira etapa, Cicero em completo impedimento.

Esse gol fez com que o Santo André tivesse que mudar a sua postura e passase a tentar agrediro o São Paulo, ficando com a posse de bola. Em uma retomada rápida, o time de Rogério Ceni fez o segundo gol. Na segunda etapa, Sergio Soares tirou Eduardo Ramos, figura nula em campo e passou a jogar com três volantes. O resultado foi uma maior posse de bola e um gol Andreense depois de uma cobrança de falta



Após o gol, mais um balde d'água. Em mais um lance infeliz da arbitragem, o atacante do São Paulo leva o braço a bola e a coloca no gol, minando assim qualquer possibilidade de reação do  time Andreense.



É fato  que o time do Santo André está desequilibrado, não tem condições de demonstrar um futebokl melhor, a própria classificação do time mostra isso. Mas o que ocorreu ontem no Morumbi foi lamentável.

Marcelo Alves Belloti

domingo, 5 de março de 2017

Santo André define o seu elenco

Chegou o dia 03 de março e o Santo André cumprindo o regulamento, entregou a FPF a sua relação de jogadores inscritos para o Paulistão de 2017.Agora não haverá espaços para trocas ou substituições até o final da primeira fase, a não ser por razões médicas.

O elenco do Ramalhão para os últimos seis jogos da primeira fase é:


Goleiros: (3 de acordo com o regulamento)
Zé Carlos, Roberto e Diego

Laterais:
Cicinho, Jean, Paulinho e Bahia

Zagueiros:
Diogo Borges, Leonardo, Reniê e Samuel Teram

Volantes:
Tiago Ulisses, Renato, Fernando Neto, Baraka, Diogo Orlando e Dudu

Meias:
Alex, Eduardo Ramos, Guilherme Garré, Helton e Serginho

Atacantes:
Claudinho, David, Deivid, Edmilson, Henan e Siloé

No total, são 25 jogadores chamados "de linha" mais 3 goleiros. Temos no momento o goleiro Diego e o lateral Cicinho retornando de uma contusão, o meia Helton ainda contundido e o atacante Siloé com problemas médicos.

O último contratado foi o volante Renato, que ainda não estreou. Ao lado dele, temos o lateral Bahia, o volante Tiago Ulisses e o meia Alex que ainda não jogaram em 2017.

Da base andreense temos sete jogadores inscritos, ou seja, 25% do elenco é formado na base. São eles Jean, Paulinho, Bahia, Dudu, Alex, Garré e David.

Com esse elenco, comandado por Sergio Soares, o Ramalhão segue com a missão de seguir na primeira divisão e beliscar uma vaga na série D de 2018.

Marcelo Alves Bellotti